Filosofia, perguntado por arthursousa94, 11 meses atrás

O liberal, como se vê, é um homem de quem se deve ter pena, porque está às voltas com um problema insolúvel: determinar até que ponto pode serrar o galho no qual está sentado, sem correr o risco de quebrá-lo. É também, por princípio, um cidadão insatisfeito. Que escureça o horizonte social, que cresça o espectro do “socialismo” – e ele se torna partidário de um “regime forte”. Que este se instale, suprima as liberdades civis e se interesse de muito perto pelo funcionamento da economia – o liberal espuma de indignação e volta a ser homem de esquerda. Ou de centro-esquerda.(Gérard Lebrun. O que é poder. São Paulo: Brasiliense, 1981. p.82.)
   - Explique em que sentido Lebrun critica a ambiguidade do liberalismo no que se refere ao ideal democrático.

Soluções para a tarefa

Respondido por vestibulanda
59
Lebrun critica a postura ambígua do liberalismo, pois ela muda conforme as circunstâncias. Em uma situação na qual o socialismo está fortalecido, ele pede que seja colocado em vigor um regime que reprima tais manifestações. Se ele vive em uma ditadura socialista, então pede que as liberdades sejam restituídas - e a revolução e mudança da ordem vigente é uma característica do pensamento de esquerda. Portanto em uma ocasião eles defendem a ditadura, em outra, lutam contra ela.

Ao meu ver, isso é um reflexo do fato de que o liberalismo político existe apenas para sustentar o liberalismo econômico, que nada mais é do que o direito de fazer o que quiser para enriquecer. Na maioria das vezes, é a democracia que melhor assegura esse direito; contudo há situações nas quais seria melhor uma ditadura para defender tais interesses - e se esse for o caso, os liberais não hesitariam em apoiá-la.

arthursousa94: obg, vlw mesmo :D
Perguntas interessantes